ARTIGO

As Novas Habilidades para o Trabalho


Por: Arlete Zagonel Galperin*


Você sabe que as exigências do mercado atual estão influenciando diretamente o desenvolvimento de habilidades pessoais? Bem como mobilizando profissionais a buscar o melhor de suas capacidades e também iniciar um processo de melhoria em competências ainda pouco dominadas?

O que se percebe é que a natureza do trabalho vem se alterando e com ela algumas novas habilidades começam a se delinear no cenário atual de mercado, tais como:

Desconfiguração do modelo antigo de trabalho: O mundo computacional está abocanhando todo o planeta, com novas mídias, com a criação de diferentes ferramentas de comunicação, máquinas e sistemas inteligentes que aumentam o nível de automação. O mundo precisa estar conectado e desta forma a diversidade e a conectividade são novas habilidades de engajamento com as empresas.

Adaptabilidade em relação as exigências de mobilidade e em relação as situações que exigem um pensamento original: Atualmente a mobilidade é uma constante e leva os profissionais a se familiarizarem com formatos diferentes de trabalho, tais como “home office”, bem como terem intimidade com ferramentas de comunicação a distancia (correio eletrônico/e-mail, Skype, face time, salas de bate papo, fóruns on-line, e outros), sistemas de armazenamento em nuvens (dropbox, onedrive, google drive, mediafire e outros) e gestão virtual. Por exemplo, ao gerenciar “virtualmente” sua equipe, o gestor deve desenvolver estratégias para realizar o acompanhamento e manter o engajamento do time de trabalho na busca dos objetivos e das metas estabelecidas. Também deve ter domínio de ferramentas de comunicação a distância.

Mentalidade de designer: a partir de conceitos da neurociência pode-se desenhar um novo ambiente físico, parafraseando o neurobiólogo Fred Gage, “mude o ambiente, mude o cérebro, mude o comportamento”. As descobertas que a neurociência trem trazido, muito contribuem para que o ambiente físico acabe por moldar a cognição, oportunizando melhores práticas de trabalho e também mentes mais sadias.

Administração de informações: a exigência referente a quantidade de tarefas e níveis de conhecimento exigidas de um mesmo profissional é enorme, o que pode provocar uma “ sobrecarga cognitiva”. Visto isto, o profissional precisa ter a habilidade de selecionar dados e transformá-los em vantagem ao seu negócio e trabalho.

Visão sistêmica e interdisciplinar: para se analisar fatos, tomar decisões e resolver problemas cada vez mais se necessita olhar de forma sistêmica e envolver vários campos da ciência e do conhecimento. Estudos recentes mostram novas áreas de estudo como por exemplo, a nanotecnologia, que se caracteriza pela combinação de biologia molecular, bioquimica, química das proteínas e demais áreas da ciência.

Inteligência emocional: é uma habilidade tratada e exigida há bastante tempo, mas a cada tempo é revisitada, pois todo profissional precisa cada vez mais ser competente em lidar com suas emoções e utilizá-las a favor de seu equilíbrio e de seus relacionamentos. Habilidade essencial em cargos de liderança, que por meio de relacionamentos emocionais equilibrados, oportuniza times de trabalho unidos e motivados.

Interculturalidade: capacidade para se adequar a novos contextos geográficos, envolvendo cultura local, idioma, crenças, e outras novas exigências para lidar com diversidade e transcender diferenças. Mais do que nunca a necessidade de estar em mundos diferentes, unidades de empresas espalhadas por continentes diferentes fazem com que esta habilidade seja exercida constantemente.

Por fim, o desenvolvimento de habilidades pode ser lento e com certeza demanda dedicação e disciplina. O importante é dar o primeiro passo, olhar para si mesmo, para seu perfil e analisar quais as habilidades que farão a diferença na entrega de seu trabalho. Elaborar um plano de ação ajuda a dar um foco e uma direção a este desenvolvimento. Sucesso na sua caminhada profissional!


* Mestre em Organizações e Desenvolvimento (FAE); Pós-graduada em RH (PUC); Graduada em Psicologia (UTPR); Diretora da ABRH-PR; Diretora/Consultora de RH da ZHZ Consultores em processos de assessment, Programas de desenvolvimento de lideres e equipes e orientação de mercado.